terça-feira, 9 de novembro de 2010

Fallout: New Vegas

Qualquer um que já tenha lido meus delírios no Twitter se deparou em algum momento com as ocasiões em que balbucio o quanto desejo que um Apocalipse Nuclear destrua a civilização.

Claro, aqueles dentre vocês que ainda possuem sanidade (não muita, uma vez que me seguem no Twitter) devem se perguntar: “Do que esse lazarento está falando? Guerra nuclear não é legal, de outra forma, por que os hippies protestariam tanto contra ela?”

Pois bem, se há uma coisa que os games da série Fallout (e Os Simpsons, e South Park) me ensinaram, é que hippies estão errados, errados, ERRADOS!!! Devastação nuclear pode ser a melhor coisa a acontecer desde a invenção do pão de forma.

E veja você, o pão de forma é uma maravilha da ciência moderna.

Mas estou perdendo o foco. Vamos em frente com este review antes que eu desmaie por excesso de radiação.

A história se passa no ano 2281, pouco mais de duzentos anos após a 3ª Guerra Mundial. O conflito durou apenas duas horas, tempo necessário apenas para os mísseis nucleares serem disparados e atingirem seus alvos.

Pior que não é uma estimativa tão fictícia assim.

Pois bem, o mundo foi devastado e a sociedade foi pro vinagre. Pequenos agrupamentos de humanos sobrevivem como podem, consumindo comida ruim e água irradiada, enquanto tentam levar suas vidas da melhor maneira que podem em meio as pilhas de entulhos que se acumularam após as explosões.

A história de Fallout: New Vegas se passa em... isso mesmo, Las Vegas! Bom menino (ou menina), merece um biscoito Scooby!

Nenhuma bomba atingiu Las Vegas diretamente, assim como sua localização a permitiu resistir melhor às explosões a seu redor do que as demais cidades do mundo. Desta forma, a boa e velha Cidade do Pecado permanece como um dos locais mais bem preservados do mundo.

Você é um Courier, encarregado de fazer uma importante entrega a um dos magnatas da cidade. Mas para cúmulo do azar, você é capturado por um grupo de bandidos, tem sua carga roubada, leva um tiro na cabeça e é enterrado no deserto de Mojave, logo na abertura do game.

Felizmente, um robô recupera sua carcaça semi morta e um médico (que deve ser feito de MÁGICA) o cura de um caso terminal de balaço no cérebro. Deste ponto em diante, sua missão é ir atrás dos miseráveis que o balearam, acertar as contas e recuperar a carga que lhe foi roubada.

Mas as coisas não são tão simples quanto parecem. A região do Deserto de Mojave (a área onde se encontra Las Vegas, vá estudar Geografia) se encontra em um grande conflito político, travado por três frontes diferentes.

De um lado, temos a New California Republic, um grupo formado por políticos e militares, que tenta restaurar valores do velho mundo, do outro temos a Caesar’s Legion, formada por escravos e soldados que seguem seu líder (isso mesmo, ele se chama Caesar) e se organizam como gladiadores da Roma Antiga.

Finalmente, há o misterioso Mr. House, magnata de Las Vegas e líder de um exército de ferozes robôs. Ele também tem interesse na região e a carga que o Courier traz consigo é de suma importância para seus planos.

O Courier cai de para quedas no meio da briga e precisa escolher qual lado irá tomar... ou, se agirá contra tudo e todos, e se tornará um Curinga em meio ao conflito. Há muitos caminhos a serem tomados, mas você escolhe qual o melhor a seguir.

A apresentação do game espanta e decepciona ao mesmo tempo.

Boa parte dos gráficos foram reaproveitados de Fallout 3. Texturas de roupas, personagens, armas, animais e monstros não são muito diferentes das presentes no game de dois anos atrás. De fato, as pessoas que encontrar ao longo de sua viagem ainda parecem um bando de Action Figures, expressivos como a Paris Hilton.

Por outro lado, os cenários são novos. Como a área de Las Vegas não foi afetada pela radiação como Washington (locação do game anterior), as cidades estão mais inteiras, há plantas pelo deserto de Mojave e o jogador não é obrigado a agüentar aquele sufocante tom esverdeado tão presente em Fallout 3.

A animação dos personagens também foi aperfeiçoada. Não é tão convincente quanto a que vemos em Mass Effect, por exemplo, mas digamos que as dançarinas de Las Vegas são bem mais sensuais do que eu esperava.

O som permanece ótimo, adicionando muito ao clima do jogo.

A dublagem recicla os mesmos atores muitas vezes, não é incomum encontrar personagens polarmente opostos que tenham exatamente a mesma voz. Por outro lado, temos ótimos atores emprestando suas vozes a membros importantes do elenco, como Mathew Perry (Benny), Danny Trejo (Raul), Rene Auberjonois (Mr. House) e Kris Kristofferson (Chief Hanlon).

Claro, Ron Pearlman também volta como o narrador, pois todos sabemos que Fallout não é a mesma coisa sem ele.

Na maior parte do tempo, tudo que se ouve é um tom belicoso, que acrescenta tensão à trama. Mas se preferir, o jogador sempre pode ligar o rádio e escutar clássicos do passado como Lone Star, Ain’t That a Kick in the Head ou Blue Moon.

Sim, eu sei que as letras destas músicas eram horríveis, mas qualé... FRANK SINATRA!!!

Fallout: New Vegas é um RPG de ação, e com certeza um dos games mais abertos... quiçá o MAIS aberto lançado até agora para esta geração.

Para começo de conversa, o jogador tem total liberdade para customizar seu personagem, a começar por sua aparência. Se quiser jogar com a mulher mais feia do mundo, de cabelo verde, você pode! Na verdade, é bem difícil fazer um personagem com uma aparência passável, se conseguir, parabéns, você merece outro biscoito Scooby.

A customização fica boa de verdade na hora de decidir as características de seu personagem. Ele pode ser um brigão que resolve tudo na porrada ou um diplomata que só saca sua arma em último caso, pode ser inteligente e sempre buscar a saída mais científica para um dilema ou ser perito em explosivos e usar dinamite para resolver conflitos.

Esta liberdade para se modificar o personagem é possibilitada através dos Skills, habilidades específicas que podem ser melhoradas a cada vez que se ganha Level. Não é possível evoluir o protagonista indefinidamente nestes campos, então o jogador pode escolher entre torná-lo um especialista em alguns campos específicos, ou um “pau pra toda obra”, que se sai razoavelmente bem em qualquer trabalho, mas não domina nenhum.

Existem também os Perks, perícias exclusivas que garantem bônus específicos para o personagem. Alguns lhe dão maior resistência a radiação, outros aumentam sua perícia com o V.A.T.S (já falo dele) e alguns permitem que um misterioso pistoleiro apareça do nada em meio a um combate e aniquile seus inimigos com letal precisão.

Dadas todas estas possibilidades de customização, cada herói em Fallout: New Vegas é único. Dois jogadores não farão protagonistas iguais e baterão boca por horas infinitas, sobre qual criou o melhor personagem.

Eu já fiz muito isso, pelo amor de...

Mas a liberdade do jogo não está apenas na criação do protagonista, cada ação possui uma reação em Fallout: New Vegas, e o jogo acompanha cada passo seu com os medidores de Karma e Reputação.

Karma é um sistema clássico da franquia já e todos sabemos bem o que significa: seja bom e boas coisas lhe acontecerão, seja ruim e... bem, o destino morderá sua bunda assim que tiver a chance. Boas ações o farão ser bem recebido nas cidades e aumentará sua chance de conseguir aliados, se for um lanfranhudo completo, todos o odiarão... exceto por uma certa Legião que vai adorar recrutá-lo.

A Reputação é um pouco mais complexa e afeta grupos específicos. Cada cidade e organização no game possui sua própria opinião a seu respeito, que varia de acordo com os seus feitos no local. Ajude uma cidade a livrar-se de uma gangue de arruaceiros e será querido no lugar, o que pode lhe render descontos na compra de itens e até mesmo casas próprias.

Mas muitas vezes, ajudar um grupo específico significa ficar em maus termos com outro. Aliar-se à New California Republic o impede de fazer o mesmo com a Legion of Caesar e a menos que seja um EXCELENTE diplomata, há uma grande chance de se tornar inimigo da Brotherhood of Steel até o fim da aventura.

A aventura é dividida em Quests, missões específicas em que é necessário se realizar um objetivo. Cada grupo possui Quests próprias e muitas delas se tornam inacessíveis conforme se avança na história, de acordo com a facção que seu personagem se aliar. Isso mantém o roteiro coerente e é uma excelente desculpa para muitas e muitas partidas.

O mapa da região é gigantesco, com dezenas de áreas a serem descobertas. Você pode levar dias jogando, caso queira explorar totalmente o Deserto de Mojave e mesmo assim, sempre há a possibilidade de não encontrar tudo que há para se ver.

Para se defender, existem dezenas de armas diferentes, desde bastões de baseball e cutelos a lança chamas e rifles de plasma. O game pode ser jogado em primeira ou terceira pessoa e se mesmo assim você tiver uma pontaria lastimável e precisar de ajuda extra (como é meu caso), pode recorrer ao sistema de V.A.T.S, que mira parte específicas do corpo do inimigo e a alveja com precisão letal... boa parte das vezes.

Dito tudo isso, Fallout: New Vegas não é um game perfeito, de fato, poderia ter passado mais algum tempo na fase de testes antes de ser lançado para o público.

Ok, este game é infestado de Bugs, de todos os tipos e em todo lugar. Desde coisas simples e “pouco graves” como as ruas de uma cidade ficarem desertas de repente e os disparos de uma arma perderem o efeito contra inimigos, até certas portas se trancarem permanentemente ou aliados de seu personagem simplesmente desaparecerem.

De fato, quanto mais próximo do final do game estiver, maiores as chances do mesmo travar, em um determinado ponto isso acontecerá com tanta freqüência, que será preciso Paciência de Jó para se perseverar e terminar a aventura.

Lógico que hoje em dia, é de se esperar que um título de tamanha magnitude tenha alguns problemas e todos podem ser facilmente consertados com Patches de correção disponibilizados Online pelos próprios produtores do jogo, mas isso não os torna menos irritantes.

Com um mundo gigantesco, personagens intrigantes, uma trama que pode ser alterada a seu bel prazer e muitas expansões à vista (a primeira para o fim de 2010), Fallout: New Vegas é uma das melhores opções para este fim de ano. Mesmo com suas falhas enormes, é difícil não se apaixonar por este paraíso Pós Apocalíptico, cheio de mutações, tiros e robôs.

Pois como diz Ron Pearlman, a guerra nunca muda...

Ron Pearlman, grande sujeito.

Aliás, o próximo review é de um game que também se passa em um mundo pós guerra nuclear.

Adivinhem qual é?

Nota do Amer: 8.5

Cheers!!!

22 comentários:

O Jogador disse...

Aposto que o próximo game é Metro 2033 lol.

Godiles disse...

/\ Proximo jogo é Hokuto No Ken...pensei que ia ser éssa semana inclusive...

@
A duvida que eu tinha em relação ao jogo ainda continua: É melhor que o fallout 3 ou é como se fosse um DLC gigante?

Amer H disse...

É um Fallout 3 com várias melhorias e acréscimos. É mais do mesmo no geral, mas chamar de "DLC" é uma ofensa ao jogo.

Se é melhor ou não, vai de cada um.

Zé Abrão disse...

eu tô muito na dúvida quanto a esse jogo. Eu amei o Fallout 3, por isso, as expectativas ficam lá em cima, tenho muito medo de ir lá todo empolgado e não gostar.
E eu também acho que o próximo review é de hokuto no ken, mas a ideia do Jogador de falar de Metro 2033 é uma boa, que tal?
E Amer, você jogou o novo Castlevania? O que achou?

Evil Monkey disse...

Amer, todos os reviews que eu vi reclamaram que você tem que ficar andando muito para poder chegar a qualquer lugar no começo do jogo, mais do que em Fallout3.

Você concorda?

Lucas Sena disse...

Ei Amer, eles corrigiram aquele bug que você "desliza" quando anda?

Ah, e vale mesmo à pena comprar o New Vegas? Digo, ele tem muita diferença pro 3 fora a história?

Amer H disse...

Basicamente, se você gostou do 3, vai gostar de New Vegas. É isso.

Não tenho certeza se já lançaram o primeiro Patch de correção pra consoles, nem do que ele conserta se existir. Só dá pra saber conectando e testando.

Quanto a andar, sim, a gente anda um bocado nesse game. Mas é parte da graça se quiser minha opinião.

Kaum disse...

desde que saiu esse jogo tava esperando o seu review sobre ele..hehe
afinal, o seu review de fallout 3 que me convenceu a jogá-lo

o único problema é que comprei o 3 recentemente (ainda não terminei).. então vou esperar pra comprar...

mas até que é bom.. assim abaixa o preço e dá tempo de sair as correções..

Blog do Sybão! disse...

Parece interessante o jogo.

Animal House disse...

fallout 3 é um jogo muito bom, mas foi decepcionante ver que o personagem só vai até o lvl 20... com tantas coisas pra fazer, bem frustrante... tomara q isso não c repita em new vegas

e é meio triste saber q um título tão legal conta com bugs bobos que você mencionou, tomara q isso não estrague a diversão

o jogo seira fist of the northern star ken's rage? eu nem sabia q ele ja tinah chego por aqui!

z disse...

Amer, É a versão do X-Box de Hokuto no Ken que você tem ou você já achou el ALGUM lugar a do PS3?

z disse...

E já que estamos falando de Hokuto no Ken e Fallout acho que já deve ter visto isso

http://www.youtube.com/watch?v=4dEY9alhVb8&feature=related

Avalanche(Lance) disse...

Cacete...peguei emrestado o New Vegas no torrent(:P)

E cacete você esta bem mais sucateiro...mas na boa Amer tu precisa de um caderno pra jogar o jogo.


Também naprimera cena quando tu sai á luz pela primeira vez...da vontade de voltar de tão vasto que é o cenário.

E nossa como teu personagem é feio!

Rodrigo disse...

Amer vai falar de Hokuto Musou! OH MAN EU ESTAVA ESPERANDO POR ESSE DIAAAA!!!!!! O jogo é lindo! Espero que seja tão bom quanto o mangá!

juliodc disse...

Ken's Rageeeeeeeee

Diogo Dornas disse...

Animl House, o objetivo do jogo foi esse mesmo, imposibilitar você de fazer um char "perfeito" em tudo, eu com muito sufoco, contas e uma tabelinha arrumada que eu montei consegui planejar 5 skill em 100%... Bem diferente do Fllout 3 onde vc conseguia 100 em tudo + 10 pontos em todos os atributos facilmente. As limitações estão la para deixar o jogo interessante e, como o próprio Amer falou em seu review, fazer cada personagem único.

Gostei do review por falar nisso. Já estava jogando o jogo desde seu lançamento no PC, e apesar de falarem de tantos bugs eu já fiz de tudo (literalmente, zerei com todas as quests primarias e secundarias, fora uns 80% do mapa explorado já) e numca travei nem percebi nenhum bug dos que o pessoal tanto comenta...

Vale acrescentar que a Obsidian (empresa contratada pela Bathesda e que fez esse jogo) é comandada por parte da equipe dos Fallouts I e II, dai o retorno de muitos dos elementos dos mesmos, como os conflitos e dualidades das escolhas, que tinham sido bastante reduzidos no 3, os momentos ilarios que se passam no jogo (esses tinham sumido no 3), e as reputações individuais com cada grupo (é IMPOSSIVEL todo mundo gostar de você, se você agradar alguem no FO:NV com certeza estara desagradando outro grupo no mesmo nivel...).

Na minha opinião Fallout : New Vegas foi tudo aquilo que eu queria do 3, e como eu ja avia gostado do 3 apesar de suas falhas, logo adorei o NV. Só espero que a série continue melhorando e que eles busquem ainda mais coisa dos antigos títulos que fizeram da série o que ela é e sejam capazes de mesclar com essa nova cara de Action-RPG que aparentemente ela ira continuar seguir. (Ainda sinto falta dos comentarios sacanas das prostitutas quando vc acordava depois de contrata-las no I e II, e de algumas quests que continham um alto teor de humor negro e "desbocamento" que me faziam rir litros, fora que eu adorava matar aquele moleque batedor de carteira que tinha em Klamath... pena que ninguem mais tem bolas para permitir infanticidio em jogos... poxa era legal nos FOs originais e vc até ganhava uma perk negativa de matace muitas crianças...)

Guilherme disse...

Amer, você devia fazer uma Review sobre alguns dos jogos de Metal Gear/Metal Gear Solid Algum dia. Eu comecei a gostar da série depois de ter jogado o MGS3.

@Sobre o post, Gostei, nunca tentei nenhum dos jogos de Fallout, mas me interessei pela série, vou pesquisar mais.

fallout vici cristian disse...

fallout new vegas eu so o mELHOR
MORO SO VICI E JAERA

fallout vici cristian disse...

ihfgirhghrgjithginhinihnitnhintfmhoçtfmjçtfmjmfçljlçtmlmjçtmfçjmçlfmjçlftjçlmjçlmçljmçlfjmçltfmçljfmjçlfmjçlmfçlmfjmfçlçlfljmlfçjmçlfçfmjçlfjmlçfmfçlmlçjfçmlmjçlfmlçfmjçfmflçjmlçjmlçjmlçmjçlfjmfçlmjçlmjçlfmjlçmflçjmjlçmjflmjlçmjlçmjçlfmljfmlçjfmçlfmfjçlmjçlmjçlfmlçfjmlçfçfjmçljmçljfmfçljmlfçjmjçlmfjlmjlmjlçfjmçljfjmçlflfjmlçjfmlçjfmjfçlfjçlmjllfjmjlmjçlmjlçmfçlmjçlmfçlmjçlfmjçlmçlfçlmjfçlçlfmjlmflçmmjçlfjmfçljlçmtçlfmçlfjm lçhmdmçljmfçlmfçljmlçdgmjlçj

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

eu estou jogando o New Vegas. realmente é bem diferente do Skyrim, já que a mesma empresa, a Bethedsa tem o dedo no jogo. já me disseram que é bem ruim comparada ao Fallout 3, mas não liguei. prefiro jogar e depois formo a minha opinião. decidi ser mais diplomata e menos brigão,quem sabe isso pode ser util. mas o ruim que não sou bom em combates corpo a corpo, tendo que contar com as armas e balas, que são escassas. há um modo de fabricar as balas...mas não sei até hoje como funciona...

sou um fracasso, sei disso.

espero que venham mais matérias sobre games Amer.

gabriel de toledo disse...

O Fallout New Vegas é um bilhao de vezes melhor que o fallout 3.por varios,e varios motivos.no fallout 3 só da pra zerar com a brother hood of steel,e eu falo isso porque gosto mais do enclave..já no new vegas da pra zerar com a facçao que vc quiser(ncr,legion,yes man,m.r house).e o fallout new vegas com dlc o nivel vai até o 50,ja no 3 vai até o 20.E no 3 é horrorasa a precisao das armas...resumindo fallout new vegas bilhoes,e bilhoes de vezes melhor que o fallout 3.

gabriel de toledo disse...

fallout neq vegas mil vezes melhor que o fallout 3.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...